Programa Aveiro Digital www.aveiro-digital.pt 
Linha separadora
      O Programa Aveiro Digital 2003 - 2006 é co-finaciado pelo FEDER e pelo FSE através do Programa Operacional Sociedade da Informação
Linha separadora
Separador
Indicador de item de menu Apresentação
Separador
Indicador de item de menu Projectos  
Separador
Indicador de item de menu Serviços
Separador
Indicador de item de menu Documentação
Separador
Indicador de item de menu Outros Destinos
Separador
Indicador de item de menu Contactos
Separador

Um globo inclinado, com uma grelha sobreposta. Na sua superfície está recortado um buraco de fechadura

Atalhos de acesso ao menú: ALT + Letra sublinhada

English Version     Versão Portuguesa


Visitantes: 3628608

 

[ Inicio ]
Icon Noticias  Noticias :
 
Notícia com data de 30-10-2001 --- Seis centenas de escolas do distrito de Aveiro contempladas por protocolo com Governo - Primeiro ciclo na net

As 19 câmaras municipais do distrito assinaram ontem um protocolo com o Ministério da Ciência e da Tecnologia, que visa equipar as escolas do primeiro ciclo com computadores ligados à Internet.

Perto de 600 escolas do primeiro ciclo do ensino básico dos 19 concelhos do distrito de Aveiro passarão a estar em breve, ligadas à Internet. Ontem, o ministro da Ciência e da Tecnologia, José Mariano Gago, assinou protocolos com todas as câmaras municipais, os quais formalizam a adesão de estabelecimentos de ensino ao programa Internet na Escola.

Desde 1997 que as escolas do 5º ao 12º anos se encontram abrangidas pelo programa, mas, para este ano, o Governo decidiu alargar o âmbito do projecto aos graus de escolaridade mais baixos. Actualmente, está em fase de conclusão a fase de ligação dos estabelecimentos de ensino à Internet, realidade que vai possibilitar cumprir uma das metas traçadas pelo Governo: a de conseguir que todas as escolas portuguesas fiquem ligadas à rede até ao final do ano, ao abrigo do Plano de Acção e-Europe, adoptado durante a Presidência nacional na União Europeia.

Ministério e autarquias celebram o acordo porque “partilham a consciência de que a generalização do uso de novas tecnologias de informação é fundamental para a criação de uma sociedade moderna e competitiva”, lê-se no protocolo. O “contacto dos alunos e professores das escolas com a Sociedade da Informação, designadamente com a Internet, no quadro da respectiva actividade educativa”, é um dos objectivos do programa.

A despesa inicial com a compra e instalação do material informático será suportada pela fundação para a Computação Científica Nacional, mas as câmaras deverão proceder, mais tarde, ao reembolso de 25 por cento do valor total.

Aumentar a eficácia das administrações

Os protocolos foram assinados durante o seminário “Sociedade da Informação em Portugal – das Cidades e regiões Digitais ao Portugal Digital”, realizado no Centro Cultural e de Congressos de Aveiro. A iniciativa foi aproveitada por Mariano Gago para apresentar um novo programa de apoio a projectos para a promoção da Sociedade da Informação, no âmbito do programa Portugal Digital.

Este plano, para o qual o Ministério da Ciência e Tecnologia irá canalizar cerca de 60 milhões de contos, dá continuidade ao programa das Cidades Digitais, estando já aberto, em permanência, um período de candidaturas para projectos em diversas áreas de intervenção, financiados em 80 por cento por verbas do Programa Operacional para a Sociedade da Informação.

Destinado a organizações públicas e privadas, o programa persegue, entre outros objectivos, o aumento da eficácia das administrações local e central. Mas não só: 2003, Mariano Gago quer que a percentagem de famílias com computadores em casa seja de 50 por cento em 2003 (era de14 por cento em 1997); que, nos próximos três anos, o volume de comércio electrónico das empresas portuguesas seja multiplicado por cem e os conteúdos nacionais na Internet aumentem dez vezes; que todos os formulários oficiais estejam em rede no próximo ano; e que todos os serviços públicos se encontrem on-line até 2005.

“O objectivo geral é o desenvolvimento do país, neste caso através da apropriação social das tecnologias da informação, quer pelas pessoas quer pelas organizações”, disse o ministro. “A experiência do Aveiro Digital mostra a riqueza do objectivo, que têm de ser perseguidos em paralelo. Não é possível num programa integrado de desenvolvimento não procurar estimular a competitividade das empresas, aumentar, aumentar a acessibilidade dos cidadãos, contribuir para a inclusão social dos mais desfavorecidos ou dos deficientes, fazer subir os índices de sucesso escolar ou incitar à formação da população activa”, completou.

Fonte: Diário de Aveiro

[ « Anterior ]