Programa Aveiro Digital www.aveiro-digital.pt 
Linha separadora
      O Programa Aveiro Digital 2003 - 2006 é co-finaciado pelo FEDER e pelo FSE através do Programa Operacional Sociedade da Informação
Linha separadora
Separador
Indicador de item de menu Apresentação
Separador
Indicador de item de menu Projectos  
Separador
Indicador de item de menu Serviços
Separador
Indicador de item de menu Documentação
Separador
Indicador de item de menu Outros Destinos
Separador
Indicador de item de menu Contactos
Separador

Um globo inclinado, com uma grelha sobreposta. Na sua superfície está recortado um buraco de fechadura

Atalhos de acesso ao menú: ALT + Letra sublinhada

English Version     Versão Portuguesa


Visitantes: 3628586

 

[ Inicio ]
Icon Noticias  Noticias :
 
Notícia com data de 25-03-2006 --- Projecto ISSI: Seniores aprendem a trabalhar com computadores

O Espaço Internet da sede de concelho é a porta de entrada nas novas tecnologias para muitos habitantes albergarienses com mais de 55 anos que querem participar na sociedade da informação.
A distância entre Rute Pangaio, de 66 anos, e o seu filho que está em França é agora menor, devido à Internet, por onde recebe e envia notícias no mesmo instante. Via Internet recebe fotos dos seus netos e está em contacto permanente com a família que tem mais perto de si e no estrangeiro. A rede global é, para Rute Pangaio, uma «excelente invenção» desta sociedade. Tudo começou há cerca de um ano e meio quando o centro de dia que frequenta (Associação de Solidariedade Social de Alquerubim) recebeu computadores com Internet e câmaras de vídeo para utilização da população sénior. Rute Pangaio confessa que no princípio não foi fácil compreender como é que tudo funcionava. Porém com insistência e gosto por aprender conseguiu dominar o computador e a Internet.

Tanto, que o Diário de Aveiro foi encontrar esta cibernauta a pesquisar numa das mais recentes novidades do portal Google – o Google Earth – onde estava a localizar a sua casa em Alquerubim. «Eu gosto de ver tudo. Através de um simples computador podemos viajar dentro de casa», afirma Rute Pangaio, que admite que esta descoberta a faz sentir mais jovem, uma vez que lhe permite estar sempre a aprender. Com 75 anos, Alice Gomes quis experimentar as novas tecnologias e há cerca de dois meses começou a aprender a trabalhar com computadores e com a Internet. Hoje, Alice Gomes já pesquisa facilmente na «net» e escreve textos que a memória lhe recorda, como as canções da sua meninice.
«Senti que tinha capacidade para fazer alguma coisa e há sempre algo para aprender na vida», diz orgulhosa Alice Gomes. O que mais gosta de procurar são notícias, fotos e a história da sua terra – Aguiar da Beira. No ecrã do computador a cibernauta relembra o passado e os locais por onde passou e as pessoas que conheceu. Mas a curiosidade de Alice não fica por terras de Aguiar da Beira. Alice gosta de saber a história do Convento de Mafra, procurar canções antigas e aprender História de Portugal. Quando pensou em começar a trabalhar com um computador, Alice Gomes perguntou a si mesma se sabia no que se estava a meter. Contudo, seguiu em frente e hoje revela que foi complicado, porque se esquecia com frequência como é que se ligava o computador. «Só consegui memorizar ao fim de cinco ou seis sessões», diz. Mas hoje, a Internet é, segundo Alice Gomes, uma «companhia para passar o tempo».

Para Filomena Amaral, de 54 anos, os computadores e a Internet surgiram como uma forma de se actualizar na sua profissão. Como secretária, Filomena Amaral vê nas novas tecnologias uma ferramenta de profissão. O preenchimento de formulários, a busca de informações administrativas e a actualização de conhecimentos são motivos que levam Filomena Amaral a frequentar todos os dias o Espaço Internet de Albergaria-a-Velha. No que diz respeito ao lazer, a entrevistada adiantou que gosta de trocar ideias sobre a leitura de livros. «Na Internet consigo saber o que determinadas pessoas pensam sobre as obras que leio e isso faz com que eu enriqueça a minha leitura», explica.
Falar com a família também é mais fácil. Filomena Amaral comunica com os familiares a qualquer momento através do programa Messenger e o mesmo acontece com os amigos que tem espalhados pelo mundo.

A Associação de Solidariedade de Alquerubim é uma instituição que apostou na colocação de computadores, ligados à Internet e com câmaras de vídeo para os mais idosos aprenderem e trabalharem com as novas tecnologias e assim contactarem mais facilmente com as suas famílias. O objectivo deste investimento passa também por não excluir os mais idosos da sociedade de informação em que se vive.

Fonte: Diario de Aveiro >>

[ « Anterior ]