Programa Aveiro Digital www.aveiro-digital.pt 
Linha separadora
      O Programa Aveiro Digital 2003 - 2006 é co-finaciado pelo FEDER e pelo FSE através do Programa Operacional Sociedade da Informação
Linha separadora
Separador
Indicador de item de menu Apresentação
Separador
Indicador de item de menu Projectos  
Separador
Indicador de item de menu Serviços
Separador
Indicador de item de menu Documentação
Separador
Indicador de item de menu Outros Destinos
Separador
Indicador de item de menu Contactos
Separador

Um globo inclinado, com uma grelha sobreposta. Na sua superfície está recortado um buraco de fechadura

Atalhos de acesso ao menú: ALT + Letra sublinhada

English Version     Versão Portuguesa


Visitantes: 3622534

 

[ Inicio ]
Icon Noticias  Noticias :
 
Notícia com data de 23-05-2006 --- Projecto MEMDigital: "Na Esteira De Egas Moniz"Documentário será transmitido no Biography Channel

Revelar o homem que foi Egas Moniz porque “poucas pessoas conhecem o nosso Nobel da Medicina”. A constatação esteve na génese do documentário “Na Esteira de Egas Moniz”, da autoria de Rui Pinto de Almeida e de Alexandrina Pereira, exibido em ante - estreia nacional no Cine Teatro de Estarreja.

Ao longo de 58 minutos, os testemunhos de familiares, de antigos pacientes, e dos neurologistas António Damásio, Alexandre Castro Caldas e João Lobo Antunes constroem uma narrativa onde a representação da figura de Egas Moniz aparece contando na primeira pessoa momentos da sua vida.

O realizador do documentário “Na Esteira de Egas Moniz”, Rui Pinto de Almeida, considera que o resultado final vai de encontro aos objectivos traçados, no sentido de se divulgar a parte menos conhecida do Nobel, o Homem, o Cientista, o Político, o Escritor.

Em qualquer uma das facetas de Egas Moniz, “ressalta a genialidade do Cientista”, conclui o Vereador da Educação e Cultura da Câmara Municipal de Estarreja, João Alegria. O documentário “dá-nos uma visão de quem foi Egas Moniz nas suas várias vertentes”.

No documentário, é feita a referência ao homem de fortes convicções, dotado de um grande sentido de justiça, na vida política e nos trabalhos que apresentava na Assembleia Constituinte de 1911.

Descobrir o político “foi um maravilhar constante”, diz deslumbrada Alexandra Pereira porquanto Egas Moniz “tinha ideais muito próximos dos nossos de hoje em dia. Foi muito gratificante ter contacto com as ideias dele, com uma parte da sua vida que eu desconhecia”.

Um homem sensível e carinhoso, ainda hoje muito recordado na família, pelos sobrinhos – netos que educou, pelo afecto e pela atenção que dispensava. Ao fazer as entrevistas, Alexandra Pereira percebeu que “ainda hoje as pessoas se comovem ao falar sobre ele”.

Após o profundo trabalho de pesquisa e investigação em torno da vida e obra de Egas Moniz, Rui Pinto tem apenas um aspecto a lamentar, “a falta de registo de imagens em movimento do Nobel”.

Existindo uma razão para essa lacuna. “Ele era uma ‘persona non grata’ do regime salazarista que o ignorava o mais possível. Não são conhecidos registos e como realizador sinto a falta de o ver em movimento”.

Outubro de 2004 foi a data de início do projecto. A criação de uma comissão científica foi um dos primeiros passos e encetar.

Sabendo-se que o “tema da leucotomia não é devidamente conhecido, entra em confusão com a lobotomia”, e para o devido esclarecimento e desmistificação da questão, foi imprescindível o contributo “dos dois principais neurologistas portugueses e a nível mundial também”, afirmou Rui Pinto de Almeida, referindo-se a João Lobo Antunes e Alexandre Castro Caldas.

A comissão científica ficou completa com a participação da Directora da Casa Museu Egas Moniz, Rosa Maria Rodrigues, numa aproximação à faceta humanista do investigador, tendo havido desde logo, a anuência da Câmara Municipal, colocando ao dispor da dupla o espólio existente em Avanca.

CASA MUSEU TERÁ NOVA VIDA

Para o Presidente do Município, torna-se “incontornável assumir a importância municipal e nacional do nosso primeiro Prémio Nobel e único na área das Ciências”.

“Viva Egas Moniz!”, assim proclama José Eduardo de Matos, sendo intenção dar mais vida à Casa Museu e dar nova luz à dimensão múltipla da maior herança e referência do Concelho de Estarreja.

A ante estreia do documentário, comemorando o Dia dos Museus, constituiu “a primeira de um conjunto de acções ligadas à Casa Museu”, revela o Vereador João Alegria.

A abertura do Centro de Documentação, até ao final de Junho, no âmbito do projecto MEM Digital – Serviços online e webização interna do Museu Egas Moniz do programa Aveiro Digital, é o primeiro sinal da renovação do equipamento cultural. A recuperação da Casa Museu e da Quinta do Marinheiro são objectivos imediatos.

A Câmara Municipal tem ainda em projecto complementar o Museu com um espaço interactivo de ciência.

Promover o filme “Na Esteira de Egas Moniz” é agora o objectivo da Autarquia que irá distribuir 2500 exemplares em dvd pelas escolas e universidades de todo o país.

O realizador revelou ainda a exibição do documentário no Biography Channel, em Dezembro, numa série dedicada aos Prémios Nobel e aguarda resposta da RTP.

Nas imagens:

Álvaro Macieira Coelho, sobrinho-neto de Egas Moniz
António Damásio, Neurologista
Rosa Maria Rodrigues, Directora da Casa Museu

Fonte: www.cm-estarreja.pt >>


[ « Anterior ]