Programa Aveiro Digital www.aveiro-digital.pt 
Linha separadora
      O Programa Aveiro Digital 2003 - 2006 é co-finaciado pelo FEDER e pelo FSE através do Programa Operacional Sociedade da Informação
Linha separadora
Separador
Indicador de item de menu Apresentação
Separador
Indicador de item de menu Projectos  
Separador
Indicador de item de menu Serviços
Separador
Indicador de item de menu Documentação
Separador
Indicador de item de menu Outros Destinos
Separador
Indicador de item de menu Contactos
Separador

Um globo inclinado, com uma grelha sobreposta. Na sua superfície está recortado um buraco de fechadura

Atalhos de acesso ao menú: ALT + Letra sublinhada

English Version     Versão Portuguesa


Visitantes: 3629048

 

[ Inicio ]
Icon Noticias  Noticias :
 
Notícia com data de 29-10-2000 --- Telemedicina Liga Hospitais das Beiras

Os hospitais da Cova da Beira e da Guarda vão integrar uma rede de telemedicina que os ligará ao Hospital Pediátrico de Coimbra, onde funciona o órgão central de teleconsultas, ao Hospital de S. Sebastião da Feira, ao Santa Marta, de Lisboa, ao Santo André, de Leiria, e ao Maria Pia e à Maternidade de Júlio Dinis, ambos do Porto. A integração das unidades beirãs na rede de teleconsultas, ontem anunciada em Aveiro, no decorrer da conferência "Saúde e Sociedade de Informação", "vai ajudar a melhorar as condições de saúde da população, nomeadamente nos sítios mais remotos, e pode vir a substituir algumas especialidades que não tenham razão de existir em hospitais da periferia", disse Eduardo Castela, dinamizador do projecto.

As teleconsultas que abrangem o Hospital Sousa Martins (HSM), da Guarda, podem vir a mitigar as graves consequências para a saúde infantil da região provocadas pela falta de médicos especialistas. A situação arrasta-se há meses e a Concelhia da Juventude Socialista (JS) da Guarda exigiu, em carta aberta dirigida à ministra da Saúde, Manuela Arcanjo, que seja encontrada "o mais rapidamente possível" uma solução. Para a JS, compete ao Ministério da Saúde, em parceria com a Ordem dos Médicos e os sindicatos da classe, "incentivar e promover a deslocação dos médicos que o interior necessita".

Depois de recordar que tudo isto é "o resultado de uma imperdoável falta de planeamento e gestão dos quadros superiores da área da saúde em Portugal", por parte de quem tutelava o Ministério da Saúde há uns anos atrás, os jovens socialistas salientam que essa situação não se verificaria "se, atempadamente, tivesse sido incrementada a formação de médicos nas universidades portuguesas" e "se fosse evitada a excessiva concentração de profissionais nos centros hospitalares das grandes metrópoles do litoral, deixando ainda mais carente um interior povoado por uma grande percentagem de população envelhecida, que é a primeira a recorrer aos serviços de saúde".

A JS não admite que as crianças, "só porque nasceram na Guarda, não possam ter os cuidados de saúde que o Estado tem a obrigação de lhes prestar", exige do Ministério da Saúde uma resolução rápida para o problema. Os jovens socialistas estão mesmo dispostos a integrar, embora a título particular, a marcha lenta no Itinerário Principal nº5, agendada para o próximo dia 11 de Novembro. Uma iniciativa organizada pelo Movimento "P'la Criança", que, recorde-se, visa protestar contra a falta de pediatras no Hospital Sousa Martins.

FONTE: Público ( Gustavo Brás com LUSA )


[ « Anterior ]