Programa Aveiro Digital www.aveiro-digital.pt 
Linha separadora
      O Programa Aveiro Digital 2003 - 2006 é co-finaciado pelo FEDER e pelo FSE através do Programa Operacional Sociedade da Informação
Linha separadora
Separador
Indicador de item de menu Apresentação
Separador
Indicador de item de menu Projectos  
Separador
Indicador de item de menu Serviços
Separador
Indicador de item de menu Documentação
Separador
Indicador de item de menu Outros Destinos
Separador
Indicador de item de menu Contactos
Separador

Um globo inclinado, com uma grelha sobreposta. Na sua superfície está recortado um buraco de fechadura

Atalhos de acesso ao menú: ALT + Letra sublinhada

English Version     Versão Portuguesa


Visitantes: 3622767

 

[ Inicio ]
Icon Noticias  Noticias :
 
Notícia com data de 27-11-2000 --- Mariano Gago anuncia instalação de "montras digitais" em todos os concelhos do país

O ministro da Ciência e Tecnologia, Mariano Gago, anunciou ontem a expansão a todos os concelhos do país do conceito das cidades digitais, através da instalação de "montras digitais". "Vamos lançar um concurso nacional para que todos os municípios que o desejem disponham de um espaço digital público", declarou o ministro, citado pela agência Lusa. Mariano Gago referiu ainda que a Administração Central deverá financiar o equipamento e as comunicações desses novos espaços digitais, ficando as autarquias responsáveis por arranjar o espaço físico.

A medida foi anunciada no encerramento do Fórum Aveiro Digital, que decorreu no passado fim de semana em Aveiro, reunindo os agentes dos 28 projectos do programa Aveiro Cidade Digital, num balanço de dois anos de actividade. Alberto Souto de Miranda, presidente da Câmara Municipal de Aveiro, considerou que o programa tem sido "um caso de sucesso, com uma execução dos projectos superior a 90 por cento", mas não deixou de apontar aspectos negativos, nomeadamente a escassez de verbas, lacunas na formação e desfasamento entre o ritmo de financiamento e as necessidades dos projectos, bem como a falta de funcionalidade do regime jurídico do consórcio.

Na sequência destes reparos, Mariano Gago avançou com a possibilidade de recurso a financiamento bancário. "Poderemos equacionar o envolvimento de fortes entidades bancárias no processo, de forma a criar um grande fundo-tampão financeiro, que acorra às necessidades e desacople os projectos das limitações do financiamento público, necessariamente e cada vez mais complexo", sugeriu.

FONTE: Digital Forum PT ( ver notícia )


[ « Anterior ]