Programa Aveiro Digital www.aveiro-digital.pt 
Linha separadora
      O Programa Aveiro Digital 2003 - 2006 é co-finaciado pelo FEDER e pelo FSE através do Programa Operacional Sociedade da Informação
Linha separadora
Separador
Indicador de item de menu Apresentação
Separador
Indicador de item de menu Projectos  
Separador
Indicador de item de menu Serviços
Separador
Indicador de item de menu Documentação
Separador
Indicador de item de menu Outros Destinos
Separador
Indicador de item de menu Contactos
Separador

Um globo inclinado, com uma grelha sobreposta. Na sua superfície está recortado um buraco de fechadura

Atalhos de acesso ao menú: ALT + Letra sublinhada

English Version     Versão Portuguesa


Visitantes: 3622566

 

[ Inicio ]
Icon Noticias  Noticias :
 
Notícia com data de 07-11-2001 --- A Sociedade da Informação em Portugal

Contando com cerca de 400 participantes, organizado pelo POSI (Programa Operacional para a Sociedade de Informação) e apoiado pelo Consórcio Aveiro Digital, decorreu o Seminário “Das Cidades e regiões ao Portugal Digital”, a 29 e 30 de Outubro, no Centro Cultural e de Congressos de Aveiro.

O papel das TIC (Tecnologias de Informação e Comunicação) foi mais uma vez debatido como meio de qualificar os cidadãos, para melhorar a sua vida económica, social, política e cultural. Neste sentido, o Presidente da Câmara Municipal de Aveiro, presente na sessão de abertura do Seminário, relembrou que “Não basta navegar; é preciso navegar com sentido.” Por sua vez, o Ministro da Ciência e Tecnologia, Prof. Mariano Gago, insistiu no caracter integrado de todos os processos de desenvolvimento, recomendando o contributo das TIC para o envolvimento de profissionais de diferentes áreas, num trabalho cooperativo pouco usual em Portugal. No seguimento da assinatura pública do protocolo entre o Ministério da Ciência e Tecnologia e as Câmaras Municipais do Distrito de Aveiro ali presentes, para a ligação de todas as escolas do primeiro ciclo à Internet, através do Programa Internet nas Escolas, aquele governante aproximou a actual massificação das TIC da disponibilização das Bibliotecas públicas e do livro há cerca de um século atrás.

Após o anúncio da publicação dum Edital na imprensa diária (29 de Outubro), que promove o concurso da iniciativas no âmbito do Portugal Digital, com vista a modernizar os serviços da Administração, do Ensino, da Formação, da Medicina, da Economia, da Integração dos cidadãos com necessidades especiais, o gestor do POSI, Prof. Pedro Veiga, orientou as sessões de apresentação dos diversos trabalhos desenvolvidos durante os últimos 2 anos.

O balanço positivo dos diferentes projectos, quer dos espaços Internet, quer de sítios na rede, quer do trabalho cooperativo dos vários actores envolvidos em todo o país, pode ser resumido em três pontos:

- Criam-se novas oportunidades de trabalho em cidades como Bragança, permitindo a fixação de jovens;

- Congregam-se crianças e jovens, cuja única ocupação é estar na rua, enquanto os pais vão trabalhar, como acontece com muitas comunidades de cabo-verdeanos e guinieenses, como testemunhou o responsável do Projecto Comunidades em Movimento, Dr. Francisco Tomar, da Amadora;

- Abrem-se espaços para segmentos específicos da sociedade, como a 3ª idade; os imigrantes; os alunos do ensino recorrente, como referiu o Presidente da Junta de Freguesia de S. Bernardo, Dr. Hélio Maia.

Após as sessões de apresentação, debateram-se estratégias de operacionalização, concluindo-se que cada ciadade/região tem de adequar a sua realidade do Digital. Por exemplo, e de acordo com a sua experiência, a Engª Lusitana Fonseca, do Consórcio Aveiro Digital, focou o importante estabelecimento de regras de utilização dos espaços Internet, como sucede com os estudantes e a obrigatoriedade de cumprir horários e tarefas escolares. Salientou ainda um indispensável trabalho cooperativo com as Instituições e Associações, como as IPSS, pois são elas que dão conta das necessidades dos seus utentes.

A importância da selecção da informação que se faz sempre que se recorre à Internet foi analisada pelo Prof. Eduardo Anselmo de Castro, da Universidade de Aveiro. Aconselhando a pertença a uma comunidade científica de internautas, afirmou que aí se poderão encontrar algumas garantias de fiabilidade naquilo que está publicado, como acontece com as comunidades científicas.

Fonte: Correio do Vouga

[ « Anterior ]